quinta-feira, 22 de abril de 2010

Quanto vale o talento


A veia estufada saltava no pescoço,ele cantarolava,desbravando suas melodias erradas em meio a multidão.Ele não ligava para aqueles que passavam apressadamente,para cara de deboche de outros,tão pouco o que eles iriam pensar.O homem engravatado na mesa ao lado afrouxava o colarinho após o expediente.Algumas outras fumavam,enquanto outras comiam e gesticulavam com a mão sobre a boca.
Ele por sua vez,pausava seu instrumento,dava um gole na sua água.Olhava ao redor e novamente com o violão em punhos dava continuidade a cantoria.
As atendentes serviam as mesas,indo de um lado pro outro em segundos,enquanto o homem quebrava o movimento passando com sua bicicleta.Os pés de bota marron faziam a marcação do ritmo,enquanto de frente aos pés do singelo artista havia um caixote com os dizeres em letras garrafais : "Quanto vale o talento".
O comércio fechava suas portas ligeiramente pelo começo de noite que se aproximava apertando os pés de salto alto daquelas que o vestiam.Eram mulheres maquiadas e bem trajadas que transitavam,ele novamente parava para dar um gole na sua garrafa de água,pois precisava molhar sua voz que era de uma rouquidão estranha.
Ele se expunha informalmente,arriscando seu espanhol e rasgando o silêncio.
Na mesa onde eu me encontrava havia um adesivo com a seguinte frase: "Não dê esmolas.Mostre o caminho".
As estrelas no céu começavam a descolar a fadiga pela sexta-feira que se aproximava.
Observando o artista viajei entre pensamentos,pois para muitos a arte é encarada materialmente de uma forma mais abrangente.
Entretanto para aquele artista que fazia as calçadas da rua de palco,a sua arte era essência.
Um senhor o aplaudio entre um dedilhado e outro,veio lhe abordar.Ele respondeu ao senhor,dizendo que não sabia tudo,mas o necessário pra ele.
Eu lhe pergunto : "Quanto vale o talento ?"
O meu cigarro já chegava ao sim,me recolhi passando em frente o artista de calçada,o parabenizei aplaudindo e lhe mostrei o caminho.
Só assim e depois,segui o meu....caminho.

(16/04/10)

Um belo dia no País das Maravilhas...





































































Alice: O senhor poderia me dizer, por favor, qual o caminho que devo tomar para sair daqui?

Gato Careteiro: Isso depende muito de para onde você quer ir.

Alice: Não me importo muito para onde…

Gato Careteiro: Então não importa o caminho que você escolha.

Alice: …contanto que dê em algum lugar.

Gato Careteiro: Oh, você pode ter certeza de que vai chegar, se caminhar o bastante.

(do livro ‘Alice no País das Maravilhas’, de Lewis Carroll)


" A menina sonhadora
E pouco desavergonhada,
Desfez-se da realidade
E foi para uma terra encantada.

Senhora do seu nariz,
De seu nome Alice,
Escapou por um triz
A um universo de doidice.

Pois o seu mundo era de doidos
Mas até fazia sentido
Porque os doidos lá eram sãos
E o coelho andava vestido.

Um mundo de sorrisos
Cheio de possibilidades,
Pouco plausível
Feito de mil maravilhas "

P.S.: Para Alice no País das Maravilhas....
Beijos do Gato Careteiro.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Segundo Tempo Modernista : A Poesia (parteIII)



Recomeçar

Não importa onde você parou …
em que momento da vida você cansou…
o que importa é que sempre é possível e necessário “Recomeçar”.
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo…
é renovar as esperanças na vida e o mais importante…
acreditar em você de novo…
Sofreu muito nesse período? Foi aprendizado.
Chorou muito? Foi limpeza da alma.
Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia.
Tem tanta gente esperando apenas um sorriso seu para “chegar” perto de você.
Recomeçar…
hoje é um bom dia para começar novos desafios.
Onde você que chegar?
Ir alto… sonhe alto…
queira o melhor do melhor…
pensando assim trazemos pra nós aquilo que desejamos…
Se pensarmos pequeno coisas pequenas teremos ….
Já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo melhor, o melhor vai se instalar em nossa vida.
“Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura.”


(Carlos Drummond de Andrade )
Nascimento e morte – Carlos Drummond de Andrade nasce em Itabira do Mato Dentro (MG), em 31 de outubro de 1902. Morre no Rio de Janeiro, em 17 de agosto de 1987.Herança do colégio – Em 1920, é expulso do Colégio Anchieta, em Nova Friburgo, por “insubordinação mental”. Cursa Farmácia em Belo Horizonte para onde a família se muda em 1920. Em 1925, Drummond casa-se com Dolores Dutra de MoraisNo meio do caminho – Em 1928, publica, na revista Antropofagia, de São Paulo, o poema No meio do caminho, que se torna um verdadeiro escândalo literário.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Segundo Tempo Modernista : A Poesia (parteII)

A Ausente

“Os que se vão, vão depressa, Ontem, ainda, sorria na espreguiçadeira. "

Ontem dizia adeus, ainda da janela.
Ontem vestia, ainda,o vestido tão leve cor-de-rosa.
Os que se vão, vão depressa.
Seus olhos grandes e pretos, há pouco,brilhavam.
Sua voz doce e firme faz pouco ainda falava.
Suas mãos morenas tinham gestos de bênçãos.
No entanto hoje, na festa,
ela não estava.
Nem um vestígio dela, sequer.
Decerto sua lembrança nem chegou,
como os convidados,
Alguns, quase todos,
indiferentes e desconhecidos.
Os que se vão, vão depressa.
Mais depressa que os pássaros
que passam no céu,
Mais depressa que o próprio tempo,
Mais depressa que a bondade dos homens,
Mais depressa que os trens correndo,
nas noites escuras,
Mais depressa que a estrela fugitiva que
mal faz traço no céu.
Os que se vão, vão depressa.
Só no coração do poeta,
que é diferente dos outros corações,
Só no coração sempre ferido do poeta
É que não vão depressa os que se vão...

(Augusto Frederico Schmidt )

NOTA : Augusto Frederico Schmidt (Rio de Janeiro,1906-1965)
Foi um poeta da segunda geração do modernismo, ele falava de morte, perda , ausência e amor nos seus poemas.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Segundo Tempo Modernista : A Poesia (parteI)


Não te aflijas com a pétala que voa:

também é ser, deixar de ser assim.


Rosas verá, só de cinzas franzida,

mortas, intactas pelo teu jardim.


Eu deixo aroma até nos meus espinhos

ao longe, o vento vai falando de mim.


E por perder-me é que vão me lembrando,

por desfolhar-me é que não tenho fim.

(Cecília Meireles)


Nem sempre...

Nem sempre dá-se tempo pra ouvir o coração...
Nem sempre dá-se ouvido ao sexto sentido ou aquilo que chamam de emoção.
Nem sempre dá-se espaço pra que se caiba num abraço.
Nem sempre criam-se vínculos através do mais lindo laço.
Nem sempre é além do Atlântico a divina morada.
Nem sempre pensa que se sabe,quando se forja a própia estrada.
Nem sempre ganha-se um sim.
Nem sempre se esquece o não.
Nem sempre acaba o que teve fim.
Nem sempre as coisas na vida
serão necessariamente assim.

(Jú Fernandes)

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Give a Damn

O Give A Damn campanha é um projeto da True Colors Fund, criada por Cyndi Lauper.
A True Colors Fund trabalha para inspirar a todos, especialmente para a comunidade gay, lésbica,
bissexual e transgêneros com o lema de igualdade para todos.
Cyndi Lauper diz, "Se um de nós não é igual, nenhum de nós é."

Outros símbolos hollywoodianos estão participando da campanha também,
como Anna Paquin(protgonista da série True Blood), Elton John, Jason Mraz,
Whoopi Goldberg, Cynthia Nixon, Wanda Sykes, Sharon Osbourne,Clay Aiken e
Kevin Alejandro.

video

"Eu sou bissexual. (…) Um crime motivado por ódio é cometido a cada hora de cada dia neste país."

Anna Helene Paquin

Anna Helene Paquin : de acordo com o blog “Just Jared”, o anúncio foi feito em um vídeo para a entidade “True Colors”, que luta pelos direitos dos homossexuais.No dia 30 de março de 2010, assumiu publicamente que é bissexual.Atualmente está noiva do ator Stephen Moyer, seu par romântico na série True Blood.

Conheça,confira e diga "sim" a igualdade .Clique nos links e veja

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Nosso Lar

" A vida não cessa e a morte é o jogo escuro das ilusões.
Fechar os olhos do corpo não decide nossos destinos.
É preciso navegar no própio drama ou na própia comédia.
Uma existência é um ato.
Um corpo - uma veste.
Um século - um dia.
E a morte.
A morte é um sopro renovador.
Mas não vou sofrer com a idéia da eternidade.
É sempre tempo de recomeçar ."

(Trecho de Nosso Lar - F.C.Xavier)

video

Baseado na obra de Chico Xavier,Nosso Lar, conta a história
do médico André Luiz e da sua trajetória na zona purgatorial
e sua ascensão espiritual em outra dimensão.

Estréia de 03 de setembro de 2010 nos cinemas.
Confira o site, clique aqui "NOSSO LAR"

domingo, 4 de abril de 2010

Salve,Salve Lulu Santos (interpretação Lenine e Cristina Braga)

video

"Cada voz que canta o amor não diz
tudo o que quer dizer.
Tudo que cala, fala mais alto ao coração.

Silenciosamente,
eu te falo com paixão.
Eu te amo calado...
como que ouve uma sinfonia de silêncio
e de luz...

Nós somos medo e desejo,somos
feitos de silêncio e som.
Tem certas coisas que eu não sei dizer."


sexta-feira, 2 de abril de 2010

"A nossa natureza mais íntima, o fundo comum do nosso ser, encontra um prazer indispensável e uma alegria profunda na imensa paixão de sonhar"

(Palavras de Nietzche ditas por Mariana em Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco)